Piloto testa Diavel 1260S

 

Ricardo Simohara é um experiente motociclista e procura, sempre que possível, fazer testes em diversos modelos e marcas, pois acredita que para falar com propriedade de um determinado produto é preciso, além de experimentá-lo, avaliar também os seus concorrentes. Desta forma, fez o test ride com a Diavel 1260S. E, segundo o esperado, também acredita que a Diavel 1260S pode ser considerada a melhor versão da essência original.

 

Exímio conhecedor

E sua opinião é de exímio conhecedor, pois Simohara já foi piloto no Campeonato Paulista de Motovelocidade, Campeonato Brasileiro de Motovelocidade e também na Copa Mercosul de Superbikes. Correu pela equipe Spiga Racing, na categoria Supersport, e depois pela equipe Suzuki Santander, na categoria Superbike. Também foi instrutor de pista da Motoschool, escola de pilotagem.

 

Experiência com Ducati

Simohara já pilotou todas as motocicletas da atual linha da Ducati do Brasil, inclusive foi proprietário de um exemplar da primeira geração da Diavel 1200 Carbon, além de uma XDiavel S.

 

Artigos Relacionados

 

Beleza extraordinária da Diavel 1260S

“Acima de todas as qualidades, o que mais gostei na moto foi o visual arrebatador”– afirma Simohara. A Diavel 1260S já se impõe no primeiro contato visual, pois é linda e provocante. Assim que colocada em movimento, proporciona sensação de leveza, impressionando na brutalidade das arrancadas e na desenvoltura com que contorna curvas.

 

Primeira sensação

Ao pilotar a nova Diavel 1260S, Simohara afirma que a primeira sensação é justamente identificar que trata-se de uma Diavel com todas as boas características que o modelo possui, entretanto, atualizada e melhorada.

Destaca que a boa desenvoltura proporcionada na cidade se manteve e foi, inclusive, ampliada com mais torque em baixas rotações, o que torna a tarefa de conduzi-la consideravelmente mais fácil, assim como a possibilidade de manter velocidades mais baixas com marchas mais altas, sem recorrer à embreagem.

“Pude pilotar na cidade, estrada secundária com muitas curvas, autoestrada, à noite e também com garupa. E todas as qualidades se mantiveram nas diferentes situações. O banco é bastante confortável, inclusive para o garupa”, afirma.

 

Diferenças marcantes da Diavel 1260S

Entre as diferenças apontadas estão a atualização eletrônica, itens como DPL (Ducati Power Launch), DQS (Ducati Quick Shifter), painel em TFT igual à da XDiavel, DWC (Ducati Wheelie Control), DTC Evo (Ducati Traction Control), controle automático de velocidade, entre outros.

As novas suspensões Öhlins totalmente ajustáveis e novos freios Brembo monobloco roubam a cena, proporcionando à motocicleta um caráter muito mais esportivo. “A Diavel já era conhecida por contornar curvas muito bem, com as novas suspensões melhorou ainda mais! E agora, freando como uma superesportiva”, argumenta.

 

lançamento da Diavel 1260S

Ricardo Simohara no lançamento da Diavel 1260S.

 

Será que existe algo a desejar?

O único ponto que o piloto considera como algo a ser melhorado, mas somente para viagens, é a proteção aerodinâmica, pois o modelo não possui bolha. No entanto, existe a opção de adquiri-la na rede autorizada Ducati. 

 

Linha de acessórios da Diavel 1260S

Ricardo Simohara destaca ainda que, juntamente com a Diavel 1260S, a Ducati lançou também uma linha de acessórios, no intuito de deixá-la mais adequada ao perfil do seu proprietário. São diversos artigos que vão desde itens em fibra de carbono, escapamento esportivo até um kit de malas. Todos os produtos são realmente úteis e extraordinários, assim como a própria Diavel 1260S.

 

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre essa novidade? Deixe seu comentário. Será um prazer ajudar!

 

Fale com um consultor

 

0 0 vote
Article Rating
Compartilhar: